Quinze milhões de passageiros por ano a partir de 2020 e R$ 700 milhões em investimentos. Os números que até então não eram vistos a olho nu começam a virar realidade no Aeroporto Internacional de Salvador, Luís Eduardo Magalhães. Na tarde desta quarta-feira (13), a reportagem do BNews foi convidada a visitar as intervenções que os olhos dos passageiros não vêem e pôde ter acesso a detalhes das obras que, segundo a Vinci Airport, trarão modernização ao Terminal Aeroportuário da capital baiana.

Atualmente, o Aeroporto de Guarulhos lidera o ranking dos terminais mais movimentados no Brasil. Em 2018, Guarulhos registrou o melhor ano de sua história em número de passageiros. Ao todo, 42,2 milhões de pessoas embarcaram e desembarcaram no terminal do ano passado, sendo 27,3 milhões em viagens domésticas e aproximadamente 14,9 em viagens internacionais. Salvador, hoje, registra cerca de 8 milhões por ano. Mas, pode ultrapassar já em 2020 o Aeroporto Internacional Tom Jobim-Rio Galeão -14.761.755 milhões, o Aeroporto Internacional de Belo Horizonte-Confins – 10.256.383 milhões, Aeroporto do Rio de Janeiro-Santos Dumont – 9.029.086 milhões, Aeroporto Internacional de Viracopos-Campinas – 8.715.455 milhões, Aeroporto Internacional do Recife-Guararapes – 8. 277.730.9 milhões e o Aeroporto Internacional de Porto Alegre-Salgado Filho – 8.105.932 milhões. Acima de Salvador, além de Guarulhos, estarão o Aeroporto de São Paulo-Congonhas    21.637.662 milhões e o Aeroporto Internacional de Brasília com mais de 17 milhões de passageiros. Os dados são da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC).

Mas, para atingir esta meta prevista no projeto da Vinci para Salvador, durante todo o ano de 2018, sete novas rotas entraram em operação, sendo cinco delas internacionais. Salvador passou a ter conexão direta com as cidades brasileiras de João Pessoa e Goiânia. Os viajantes também ganharam a opção de embarcar sem escalas da capital baiana para Miami, Ilha do Sal, Cidade do Panamá e Buenos Aires. Três novos destinos sazonais passaram a ser oferecidos na alta temporada, Rosário, na Argentina, Teixeira de Freitas, na Bahia, e Cuiabá, capital do Mato Grosso.

Quase 40% dos trabalhos previstos para o terminal já foram concluídos, incluindo troca de iluminação convencional por LED e substituição dos sistemas elétricos, de refrigeração e de prevenção e combate a incêndio. Outras intervenções estão em andamento e serão entregues até 31 de outubro de 2019.

As obras estão divididas nas etapas 1B e 1C, cuja conclusão é de respectivamente 31 de outubro de 2019 e 31 de outubro de 2021. A primeira etapa, iniciada em 19 de abril de 2018, contempla 90% de todas as intervenções e representa cerca de 700 milhões de reais em investimentos.  Deste montante, cerca de 500 milhões são advindos de um financiamento do BNB e o restante é de recursos próprios da VINCI Airports.

Atualmente, há 55 frentes de obra e mais de mil operários trabalhando. Também já foi entregue parte da nova área de escritórios e balcões de vendas das companhias aéreas, e 60% do check-in em novo layout. Na área operacional, a pista auxiliar foi totalmente reformada, e houve melhoria na iluminação da pista principal.

A área para instalação do maior Duty Free do Nordeste, uma loja com 600m² localizada no desembarque internacional, também foi uma entrega já concluída da Concessionária. Nele, pode ser encontrado um portfólio amplo de marcas internacionais como Channel, Lancôme, Veuve Cliquot e Victorinox. O estabelecimento se adequa ao novo conceito comercial do Aeroporto, ‘walkthrough’, que valoriza a experiência dos passageiros.

Outras intervenções estão em andamento e serão entregues até 31 de outubro de 2019. São elas: a reforma da pista principal, a construção de estrutura para implantação de novos conjuntos de escadas e elevadores, reforma de 9 conjuntos de banheiros e construção de 15 outros, construção de um novo píer com 6 pontes de embarque e ampliação do terminal existente em 20.000 m².

As melhorias também trarão renovação à Praça de Alimentação, o incremento de operações comerciais de varejo e alimentação, a instalação de painéis fotovoltaicos e a construção de outras estruturas. Serão cinco restaurantes novos e mais 12 lojas comerciais.

Segundo o diretor presidente do Aeroporto de Salvador, Julio Ribas, as obras foram um dos grandes desafios enfrentados pela Concessionária. Além de serem de grande dimensão, elas têm que ser feitas com o Aeroporto em funcionamento. O Terminal opera 24h por dia. “É como fazer uma reforma em casa com os moradores dentro. Estamos fazendo esforços para minimizar os transtornos aos passageiros. Eles são temporários e necessários para que no final de 2019 tenhamos um equipamento capaz de atender bem às necessidades de baianos e turistas, oferecendo mais conforto e uma melhor experiência”.

Sustentabilidade
Assim como os demais aeroportos operados pela Vinci Airports, o aeroporto de Salvador possui a sustentabilidade como pilar fundamental para suas atividades. A concessionária visa obter e manter a certificação da Airport Carbon Accreditation (ACA); reduzir a intensidade energética dos aeroportos em 20% (em comparação com 2013); realizar diagnóstico de risco da biodiversidade e obter a certificação ISO 14001

Alguns destaques são: construção de uma Estação de Tratamento de Efluentes (ETE) com 99% de eficiência, Central de Resíduos, aumento do índice de reciclagem de resíduos em 25,6% e estimativa de redução de mais de 30% do consumo de energia elétrica com a substituição de lâmpadas convencionais por iluminação de LED. Na ETE absorve cerca de 750 m3 /dia. O investimento foi de R$ 8 milhões, sendo R$ 3.5 milhões a mais do previsto.

Adotando o conceito de energia circular, está em andamento a construção de um sistema de reuso de água integrado à ETE e prevista a instalação de painéis para geração de energia solar.

Sobre a Vinci
A VINCI Airports, uma das cinco principais empresas globais do setor de aeroportos, gerencia o desenvolvimento e as operações de 44 aeroportos localizados na França, em Portugal (incluindo o hub de Lisboa), no Reino Unido, na Suécia, no Camboja, no Japão, nos Estados Unidos, na República Dominicana, na Costa Rica, no Chile e no Brasil. Com a presença de mais de 250 companhias aéreas, os aeroportos VINCI registraram um tráfego superior a 180 milhões de passageiros em 2017.

Em 2017, seu faturamento anual para atividades de gerenciamento atingiu 3,2 bilhões de euros, com um valor consolidado de 1,4 bilhões de euros.

Fonte:Caroline Góis/BNews.